Ex-piloto espanhol de motociclismo morre aos 46 anos após recusar vacina contra Covid-19

Jorge Lis morreu na Espanha após recusar e advogar contra a vacina da Covid-19. O ex-piloto, que também cuidou da carreira de jovens talentos, enviou uma mensagem para a irmã lamentando a decisão negacionista

1

O ex-piloto de motociclismo Jorge Lis talvez não seja dos mais conhecidos no mundo do esporte a motor, mas ganhou as páginas esportivas nos últimos dias, quando morreu aos 46 anos, vítima da Covid-19. O que chamou a atenção não foi apenas mais um triste caso durante a pandemia, mas o fato de ele abertamente rejeitar e advogar contra a vacina que combate o vírus.

A história do ex-piloto foi divulgada pela irmã, Elena Lis, no jornal espanhol Levante, no dia 15 de agosto. No texto, ela tornou pública uma mensagem em que Jorge confessa seus temores após recusar a vacina.

“Eu tenho medo, Elena, pois fui ingênuo e agora não conseguimos parar isto. Esta semana foi um golpe, uma das maiores lições da minha vida. Passar muito tempo no Twitter me tornou radical ao extrema. Eu desejo ter me vacinado”, escreveu.

Jorge Lis correu na Espanha e depois cuidou de jovens talentos (Foto: Reprodução/Twitter)

A mensagem de Jorge foi enviada para a irmã após descobrir o resultado positivo de um teste para Covid-19, dias antes de ser internado no Hospital La Fe de Valencia, onde ficou em coma. Nos últimos 45 dias, por conta da extrema gravidade do caso, ficou na UTI e respirando com ajuda de aparelhos.

“Este vírus é assim, é traiçoeiro. Em poucas horas, ele foi de uma possível alta para uma complicação respiratória grave”, disse Elena.

“Ele, que no início da pandemia vivia assustado, mudou e se contaminou com um vírus invisível e muito perigoso: o das teorias que negam a existência da Covid ou diminuem seus efeitos. Escutava supostos gurus que diziam ter informações privilegiadas, datos econômicas e sociais fora do conhecimento dos mortais”, comentou a irmã.

Jorge Lis foi vice-campeão espanhol de 125cc em 1996. Depois da aposentadoria das pistas, trabalhou como editor de livro e cuidou da carreira de pilotos como Bernat Martínez e Steven Odendaal no Mundial de Superbikes.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA