“Foi como se tivesse vindo do PCC”, diz deputada alvo de Eduardo Bolsonaro…

4

Ao abrir seu Instagram na manhã de segunda-feira (13), um dia após participar da manifestação contra Jair Bolsonaro (sem partido) na avenida Paulista, em São Paulo, a deputada federal Dayane Pimentel (PSL-BA), que até o final de 2019 era da base de apoio do presidente, viu que um dos filhos dele, o também deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), lhe havia marcado em um story. Na imagem, Dayane aparecia de mãos dadas com Bolsonaro, era chamada de traidora e tinha um alvo em cima de seu rosto. A deputada foi eleita em 2018 na esteira do bolsonarismo, mas pulou do barco após uma crise interna no partido. Em conversa com Universa, ela contou que ingressou com uma representação no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados contra Eduardo, na tarde da terça-feira (14), e que também pretende registrar um boletim de ocorrência. “Me senti muito ameaçada, como se tivesse vindo do PCC, não vi diferença”, afirma. A Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados divulgou uma nota de repúdio contra Eduardo Bolsonaro.

O medo, diz ela, vem do fato de considerar a família Bolsonaro uma “milícia”, e de saber que o deputado, assim como outros membros do clã, tem voz para incentivar outras pessoas a atacá-la. “Ele não é qualquer deputado, ele estava incentivando para que loucos façam alguma coisa, e essas pessoas são capazes de fazer, sim, porque acham que vão ser reconhecidos pelos Bolsonaro”, diz. “A sociedade entende que mulheres são mais frágeis.”…

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA